Relações interpessoais
2018-01-12 22:18:11 +0000
80

Responder ao "sorriso" de um desconhecido?

Este parece ser um cenário bastante comum. Como já não trabalho num ambiente público, tem sido algo que não me passa pela cabeça há muito tempo.

No entanto, hoje, enquanto pagava alguns artigos na bomba de gasolina, o tipo que trabalhava no registo decidiu iniciar uma conversa comigo que foi algo do género:

Guy: "Está a ter um dia mau?"

Eu: "Não?"

Guy: "Bem, então porque não sorri para mim? Pessoalmente, acho irritante no melhor sentir-me como um estranho está a dizer-me como me apresentar. Acabo por me sentir como se a minha "bolha" pessoal tivesse sido um pouco invadida. **Não é escolha de ninguém, mas a minha se optar por partilhar com eles uma táctica física de calor (emocional) e ser convidado a fazê-lo deixa-me imediatamente desinteressado em tudo sobre a pessoa em questão.

No entanto, Não sei mesmo o que dizer a seguir quando as pessoas me põem nesta posição. Não quero "chicotear" porque sinto que muitas vezes as pessoas que o fazem podem não perceber porque pode ser inapropriado, mas não há absolutamente nenhuma maneira de eu sorrir para elas, quanto mais continuar uma conversa com elas.

Dada esta informação, qual é a melhor maneira de responder a tais comentários? Existe alguma "estratégia de saída" que eu possa tomar que possa expressar que a razão pela qual o estou a fazer é por causa desse comentário, sem sair como agressivo?

Editar: Aqui está um artigo falando para porquê este cenário pode ser desmotivante quando vindo de um estranho, para aqueles que não têm a certeza de onde vem o meu aborrecimento.

Respostas [12]

70
2018-01-12 22:33:23 +0000

Pessoas como esta não podem ter fronteiras. Elas tendem a ofender-se quando os outros respondem negativamente.

Dependendo do meu humor e da vibração que recebo das pessoas que se aproximam assim de mim, responderei com:

"Com que frequência isso funciona para si?"

"Bem, estou chateado agora que acha que pode exigir de mim qualquer tipo de emoção"

No meu caso:

"Sofri uma lesão e os músculos que controlam o meu sorriso são dolorosos de usar. Obrigado pelo lembrete de que nunca mais vou expressar felicidade"

Isto pode transformar a situação numa brincadeira que poderá permitir-lhe sair com uma boa nota:

"Não sorrio a pedido, mas talvez por 50 dólares"

Ou o mais eficaz:

"Não, obrigado"

E depois sai.

Editar: Não há uma resposta ou abordagem correcta. Certamente algumas destas respostas irão esfregar as pessoas da forma errada. Cabe ao PO determinar o seu nível de conforto ao lidar com esta situação.

70
41
2018-01-14 13:21:41 +0000

Eu sou o atendente da estação de serviço contestada neste cenário... pelo menos durante muitos anos fui essa pessoa que se envolveu na "economia de troca de sorrisos". Ofereço-vos a minha perspectiva erudita e alguns dados empíricos de muitos anos, como um empurrador de sorrisos quase profissional. Submeto-vos que a correcta observação e orientação para a transacção subjacente vos dará a vantagem de Decidir como reActuar. [hat tip to Boyd, et al. for the OODA loop reference]

BONA FIDES. Durante a faculdade, trabalhei como atendente de uma estação de serviço noturna perto do meu campus urbano no norte do estado de Nova Iorque. Como este local King Fuels era uma estação de serviço completa, eu pessoalmente bombeava todo o gás e interagia com cada cliente. Mas eu tive o meu verdadeiro começo nesta economia de troca de sorrisos vários anos antes como o cara do balcão em um mercado de peixe muito popular no sul da Flórida. Construí esta experiência ao longo de muitos anos.

DATA. Dessas e de muitas outras experiências de retalho, estimo que, de cada 100 estranhos de quem extraí/catei/negociei/concebi um sorriso, recebi 75 sorrisos e 25 respostas alternativas. Das 25 alternativas, 10 eram "f* offs" ou equivalentes. As restantes 15 exigiam um compromisso contínuo para alcançar o fim do jogo. (nota: só fui fisicamente ameaçado duas vezes, e nunca fui realmente vencido.)

Dados estes pontos de dados de risco-recompensa, apresento três observações:

  1. O Smile Exchange não é pessoal... é um Jogo de Números. Eu queria números. Quanto mais sorrisos, melhor. Em geral, a avaliação risco-recompensa (retorno) favoreceu o meu comportamento contínuo e invasivo. A sociedade incentivou-o respondendo com sorrisos, embora indivíduos específicos não o tenham feito. Tal como um VC que investe e avalia toda a sua carteira, nenhuma falha ou ponto de dados de baixo retorno irá estragar o retorno global do investimento. Uma vez que eu estava a subir 75% do ROI, a sociedade ofereceu-me um resultado positivo de retorno do risco.

  2. O Risco Pertence ao Pedidor e não ao Pedido. Pelo menos, na mente/coração do atendente do posto de gasolina, eu estava assumindo o risco emocional na troca. Como a sua pergunta revela, as opiniões variam. Mas examinando a minha motivação egocêntrica, acreditei que sorrir oferecia recompensas tanto ao remetente como ao receptor e considerei que poderia até estar a prestar serviço público -ref. Artigo da Fast Company de Vivian Giang, 28 de Janeiro de 2015. Como peixeiro, vendedor de combustível, engenheiro de vendas ou orador público, quando peço uma reacção (risos, sorrisos, choque, simpatia), acreditei que estava a correr o risco emocional, ao arriscar a rejeição. Receber um sorriso, ou um sorriso, ou mesmo uma resposta inteligente e oportuna, ofereceu-me uma validação. Egoísta e patético, possivelmente. A um nível ligeiramente mais profundo, uma recompensa adicional é aprender a lidar com a rejeição e a lidar com reacções humanas imprevistas. Pelo custo de alguns segundos de risco do ego, eu poderia obter três créditos universitários que me permitissem ter uma visão da interacção humana. E finalmente, na maioria das lojas, há mérito na repetição de negócios; clientes sorridentes podem simplesmente voltar.

  3. Os preconceitos culturais desempenham um papel importante. O poder relativo dos jogadores e os motivos para comentários são importantes aqui. Se os outros estão a ver ou não, ou se o encontro é umv-um, também importa. Recomendo a releitura da secção Blink da Gladwell sobre "Thin-slicing", que é o seu termo para descrever a capacidade de encontrar padrões em eventos baseados apenas em "fatias finas", ou janelas estreitas, de experiência. Nos meus anos de mercado de peixe na Florida, eu era um jovem na minha adolescência e a maioria dos meus clientes eram mulheres em idade de reforma de Nova Iorque. Elas tinham a vantagem do poder. Muitas não sorriam automaticamente, mas a maioria parecia gostar do jogo de negociar o melhor corte de bacalhau, e eu não hesitava em incluir uma taxa de sorriso no negócio. No posto de combustível da noite, os clientes eram muito diferentes, e muitas vezes bêbados, pelo que os sorrisos tinham de ser extraídos através de medidas pouco usuais. Raramente pedi directamente, mas ofereci alguma medida de comédia física ou outra bufonaria pessoal para extrair a reacção-pensar Monstros, Inc para a bomba de gasolina. Agora, como pai, suscitar sorrisos dos colegas de turma do meu filho parece ser bem recebido por todos os envolvidos. As variações culturais entre outras regiões e nações também são significativas, e alguns segmentos de certas culturas não vão sorrir, enquanto outros não vão parar de sorrir, mesmo que claramente fingidos.

CONCLUSÕES. É direito de cada pessoa escolher a sua emoção e reacção. São mais eficazes a isto se primeiro dominarem o auto-controlo. Se não se importa com o que pensa a pessoa que pergunta, então um "não obrigado" conciso, acompanhado de um afastamento físico, é eficaz. Por outro lado, é meu direito, como inquiridor, tentar compreender a emoção e motivação das pessoas com quem interajo, desde que eu não prejudique ou viole as linhas culturais. Para ser eficaz, tenho de ser simultaneamente sensível e ágil. O seu assistente de posto de gasolina pode estar apenas na fase inicial de aprendizagem. Pode considerar oferecer-lhe conselhos amelhorar o seu jogo. Isto servirá tanto para fechar a sua abordagem grosseira, como para a pagar pontos de karma. Há muito tempo deixei de exigir ou mesmo de pedir a estranhos que actuassem por mim (na sua maioria). Há um caminho melhor. Em qualquer interacção humana, vejo constantes avaliações Observe-Orient-Decide-Act a decorrer, por vezes de forma subconsciente. Ao aprender padrões de comportamento ao longo do tempo, tento agora encontrar estranhos onde eles estão e avançar juntos em direcção a uma saída ganha-ganha... mesmo que apenas um fugaz aceno de reconhecimento de 10 segundos.

"Às vezes a tua alegria é a fonte do teu sorriso, mas às vezes o teu sorriso pode ser a fonte da tua alegria". -- Thich Nhat Hanh.

41
37
2018-01-12 23:32:31 +0000

Não há razão para sorrir para ele pode dizer-lhe isso educadamente, para uma resposta humorística pode usar

A minha mãe disse-me para não sorrir para estranhos

ou

Não ando por aí a sorrir para todos os estranhos que me perguntam

ou (Créditos para Erik )

Só sorrio quando testemunho algo estúpido

Funciona melhor se for seguido com um sorriso.

E para uma resposta mais séria pode usar algo como

Desculpe mas eu só sorrio quando encontro algo engraçado

37
23
2018-01-13 00:59:12 +0000

Com base na frase estranhamente pessoal "sorria para mim", esta pode ser uma tentativa inepta de namoriscar. Quer seja ou não, um estranho que lhe peça para sorrir é indelicado. Não merece qualquer resposta. Se é uma tentativa de flertar, qualquer resposta, especialmente uma brincadeira, pode ser vista por alguém com uma tal falta de limites como um convite para continuar a brincadeira/flirt.

Dada essa possibilidade, a resposta correcta não é nenhuma resposta. Ignorar completamente a afirmação. Não tem qualquer obrigação de responder a essa rudeza e uma resposta pode servir para piorar as coisas, não para melhorar.

23
19
2018-01-12 22:58:48 +0000

[...] Sinto que muitas vezes as pessoas que o fazem podem não compreender porque pode ser inadequado

Exactamente. Faça-as sentir-se conscientes fazendo-se de parvas. Eles_ têm de se sentir embaraçados, não você.

Eles estão a pedir-lhe que faça algo para eles, certo? Bem, se alguém me diz "fá-lo por mim", é porque

  • essa pessoa não o pode fazer sozinha ou
  • algures eu devo isso a essa pessoa.

Pergunte-lhes (educadamente, como se não percebessem a pergunta deles) que caso é este.

-Blá blá sorriso para mim.

-Desculpe-me senhor? Eu não entendi a sua última frase. Tenho de sorrir não porque me apetece fazê-lo, mas... porque eu o faço isso para si? Não me lembro mesmo de te ver outras vezes, desculpa. Estou em dívida contigo?

ou:

-Blá blá sorriso para mim.

-Oh. Lamento muito por ti. Se pedir a estranhos que sorriam para si, significa que não o pode fazer sozinho. É um caso muito estranho e triste. Não, acho que não vou conseguir sorrir para ti, isto é demasiado triste.

Ou, ainda mais simplesmente:

-Blá blá sorriso para mim.

-...desculpa? *#

-Sim, sorria para mim.

-Para si...em que sentido? *#

-[tagarelice confusa]

-[resposta(s) pedindo esclarecimentos]

19
14
2018-01-13 23:37:13 +0000

**

Implicitamente, isto é exigir algo que ele provavelmente não fará, por isso coloca-o na mesma situação.

** Esta não é a forma de me fazer sorrir. **

é de alguma forma verbalizar o seu estado interior, mas pode motivar a outra pessoa a continuar a conversa, o que você não quer.

Pessoalmente, eu não iria mais longe em explicações do porquê de eu olhar como olho - afinal de contas, é um tipo numa bomba de gasolina, e provavelmente a sua intenção é animar as pessoas - embora sem muito sucesso - pelo menos no seu caso, ele pode querer trabalhar nos seus métodos.

14
12
2018-01-13 11:09:22 +0000

Ainda bem que me fez esta pergunta porque isto já me aconteceu muitas vezes.

No início, pensei que trabalhava no registo e que o cliente se queixava de que não estava a sorrir. Nos EUA é quase necessário ou esperado que um representante do serviço de atendimento ao cliente sorria para o cliente quer ele queira/sinta ou não. Eu entendo a política por detrás disto, mas o oposto, você (um cliente) não sorri para um tipo do serviço de apoio ao cliente e o tipo que o exige é um pouco estranho. Ele pode estar a namoriscar contigo.

Respondi de forma diferente a comentários que pareciam loucos ou que não sorria, dependendo do meu estado de espírito.

Por vezes, um comentário "Porque não sorri..." suscitou um sorriso. O próprio comentário fez-me sorrir.

Outras vezes, apenas optei por continuar a parecer louca ou séria (estado de espírito em que eu estava na altura) e ignorei o seu comentário sem dizer nada. E era isto que eu faria na vossa situação. Não deve uma explicação a este tipo.

Mas se mesmo assim lhe apetece dizer alguma coisa, estas foram algumas das minhas respostas no passado:

Não me apetece agora.

Não gosto de sorrir a pedido.

Não quero* (o meu preferido e directo). Ironicamente, por vezes apanho-me a dizer isto com um sorriso sarcástico.

Nota: Por vezes, é possível exagerar quando alguém está a tentar fazer-nos sorrir ou a tentar animar-nos (especialmente se não estivermos de bom humor). Algumas pessoas são assim e têm boas intenções.

Não sei se te sentiste assim com este tipo ou não. Isto é para você contar. Tento ser justo e não demasiado rígido e a menos que isto acontecesse frequentemente ou sentisse que uma pessoa em particular estava a ser demasiado contundente, ignoraria o seu comentário e iria embora. A minha resposta depende quase sempre da vibração que recebo da pessoa que faz o comentário e do estado de espírito em que me encontro.

12
9
2018-01-14 16:37:29 +0000

Dica de vida: não gaste suas energias tentando mudar as pessoas.

Muitas das respostas aqui lhe dizem para fazer algo para deixar claro ao cara do posto de gasolina, que ele deve deixá-lo em paz. Penso que é um desperdício de esforço.

Ser convidado a fazê-lo faz-me desinteressar imediatamente por tudo sobre a pessoa em questão.

Honestamente, penso que não é razoável aqui. O tipo não quis dizer isso de forma tão má!

Faça o que lhe parece certo. Seja como for, não importa. Encolhe, sorri, ignora, dá uma resposta espirituosa "não, a minha cara é mais confortável assim!"...

Acima de tudo, não desperdices a tua energia a preocupares-te com coisas estúpidas que as outras pessoas fazem.

9
4
2018-01-15 16:07:05 +0000

Primeiro, compreendo todas as conotações dos homens a dizer às mulheres para sorrirem e concordo plenamente que é quase sempre deslocado, como foi neste caso_.

No entanto... pode ser que este particular caso tenha a ver tanto com a interacção cliente/servidor como masculino/feminino.

Disse que se sentiu como se a sua bolha pessoal tivesse sido invadida. Para continuar a analogia da bolha; quando duas bolhas de sabão se aproximam uma da outra, elas juntam-se enquanto permanecem divididas, obtém-se uma interface plana onde se encontram.

two joined bubbles

Cada bolha ainda está intacta mas tem um limite temporário partilhado. Esta pode ser uma forma útil de pensar sobre as interacções humanas.

  • Total de estranhos que passam na rua... as suas bolhas permanecem separadas das nossas,
  • Estranhos com quem partilhamos breves interacções... as suas bolhas ligam-se às nossas durante algum tempo e deformamo-las ** como nós deformamos as deles** e essa membrana partilhada é onde nos podemos sentir particularmente sensíveis às acções uns dos outros.

As analogias só vão tão longe, mas talvez neste caso, ao aproximar-se da caixa, ele sentiu a sua abordagem como um impacto na sua bolha e respondeu, o que você sentiu como um impacto na sua.

Eu concordo que ele estava errado ao dizer-lhe para sorrir, mas talvez valesse a pena pensar se havia algo na sua abordagem que também se pudesse ter sentido invasivo para him.

Disse que ele "decidiu iniciar uma conversa" da qual não é claro se já tinha trocado algum tipo de saudação. Onde eu moro, seria estranho não fazer contacto visual, cumprimentar e provavelmente sorrir para o caixa quando entra no quiosque ou chega à cabeça da fila, independentemente do sexo de alguém.

Mas todos nós temos dias de folga e por vezes estamos demasiado preocupados para nos lembrarmos de suavizar o fluxo de interacção com estranhos e nós caminhamos até aos balcões de pagamento com cara de cabra (que os homens também recebem), e por vezes eles dão-nos avisos... como 'dia mau?'. muitas vezes a resposta ao aviso é tão simples como 'Oh, desculpa, eu estava a milhas de distância, Olá, é a Bomba 3 por favor' e toda a gente não vai a pior. Se respondermos com mais um desafio do tipo "porque é que perguntas?", as coisas podem descer rapidamente.

Penso que a chave neste caso é considerar que qualquer pessoa que trabalhe atrás de um balcão de pagamento provavelmente recebe uma procissão de clientes para servir quem pode estar em qualquer lugar de um espectro desde demasiado familiar a excessivamente agressivo e isso deve ficar desgastado. Assim, embora isso seja parte integrante do que se pode esperar de um papel voltado para o cliente, cabe ao resto de nós, em tais interacções, implementar as simpatias sociais adequadas e respeitosas da nossa cultura. Por isso, a nossa bolha foi um pouco picada, talvez também tenhamos picado a deles.

Nota: Não estou a dizer que o tenha feito, apenas a questionar a possibilidade de que essa possa ter sido a percepção do caixa.

4
2
2018-01-15 09:26:06 +0000

Um provérbio italiano diz que

Il sorriso abbonda sulla bocca degli sciocchi.

** Abundam os sorrisos na boca dos tolos**.

Ninguém é obrigado/forçado/mandado a "sorrir a ninguém". O bom senso social recomenda a ser educado e bondoso, não a sorriso, mais uma razão pela qual o pedido deste tipo é inadequado.

Penso que "[provérbio supracitado]" por isso prefiro guardar o meu sorriso para ocasiões que valham a pena. Tenha um bom dia.

...seria a minha resposta.

2
2
2018-01-15 12:55:54 +0000

Vou pedir conselho emprestado à captainawkward :

Eles estão a ser mal-educados ao atravessarem os limites. Não precisa de ceder.

Aqui estão os seus 4 novos melhores amigos:

  • "Ok."
  • "Uau."
  • "Não."
  • "CHILLY AWKWARD SILENCE

Não lhes deve uma resposta. Eles querem a sua atenção. Tal como uma criança que faz algo de mal só para ser repreendida para que possa chamar a sua atenção. Na verdade dar-lhes uma resposta, como algumas respostas aqui afirmam, é deixá-los ganhar.

Ser um recorde quebrado. Deixe-os ficar ofendidos. Deixa-os pensar que estás a ser manipulador. Não se envolva em detalhes ou dê-lhes razões. Se eles não pararem ou escalarem, diga "Welp, bom te ver, hora de ir!" e saia daí. Você não lhes deve acesso contínuo à sua atenção. Deixe a conversa e tente novamente outro dia.

Largue o microfone e vá embora.

Não pode legislar o coração das pessoas, mas pode cortar a cultura que normaliza o seu comportamento, um prato de puré de batata e uma conversa embaraçosa de cada vez. O mundo precisa que você seja esquisito e que o torne estranho.

É apenas um mote no seu dia. Se eles acham que não há problema em forçar uma resposta emocional nos outros só para obter alguns doces para os olhos, vamos mudá-lo um olhar estranho de cada vez.

2
0
2018-02-17 05:32:58 +0000

Sou igual a si e não me importo que outras pessoas me digam como devo agir, como devo sentir ou como devo responder. Não é da sua conta. Mas aprendi que quando não dou nenhuma expressão facial, as pessoas não me conseguem ler e assumem que sou uma certa maneira. Embora não seja justo ou preciso, é assim que as coisas são.

Se esta pessoa é alguém com quem se é amigo e se vê frequentemente, então partilhe o seu aborrecimento com ela. Se é alguém que vê raramente, e não vale a pena discutir com eles, então sugue e não responda.

Eu sei como se sente e é muito irritante! Boa sorte.

0