Relações interpessoais
2017-09-29 11:56:54 +0000
21

Como lidar com a minha namorada quando ela interpreta mal as coisas?

Acerca de mim Antes de vos falar do problema, quero falar-vos de mim. Eu sou um pouco introvertido e muito tímido perto de raparigas. Também tenho dificuldade em comunicar com as pessoas e não falo muito com elas. Só com quem a minha nerdice combina. A minha namorada também é uma croma.

Acerca dela Ela é temperamental. Ela normalmente fica zangada com muitas coisas. Eu sou calmo por natureza. Eu não me zango com nada. E também tenho dificuldade em aceitar o facto de ela estar a ficar zangada com "isto".

Problemas* Agora, passando aos problemas : O que acontece geralmente muitas vezes é que quando estamos a discutir qualquer tópico ou assunto, como é que eu ponho o meu ponto de vista e lhe digo que algo pode ser qualquer coisa geral ou pode ser algo específico para ela. Muitas vezes ela percebe o que eu disse de uma forma muito errada, o que não é o que eu insinuei ou queria dizer, mas ela toma as coisas assim.

Exemplo Cenário 1 : O tempo é cerca das 5 da manhã. Estou com muito sono e ela quer falar e eu continuei a falar. Isto continua até por volta das 6:00 ou algo assim. Perguntei-lhe se podíamos ir dormir, já que já falámos o suficiente e eu estou muito cansada.

_ O que eu quis dizer:_ Estou muito sonolenta, já falámos um pouco, por isso devíamos ir dormir agora.

_ Como ela reage:_ Porque é que estás a dizer que já falámos, eu não te pedi um favor, não te impedi de ires dormir, vai dormir. (Já zangada)

Cenário 2 : Ela está a ficar zangada com alguém, com o companheiro de quarto, com o dono da loja de fora, pode ser qualquer um. Ela está furiosa.

Me: Peço-lhe que se acalme e que se zangue não resolva nada e que nem sequer pense nela/ele. Ela diz-me porque está a ficar furiosa, e quando a ouço geralmente penso de ambas as perspectivas. Porque é que ela está a ficar zangada e o que a outra pessoa fez. Tento dizer-lhe que ele ou ela pode estar a fazê-lo por esta ou aquela razão.

_ Como ela reage:_ Porque não se vai embora. Nunca ficas do meu lado.

Eu: Só lhe quero dizer estas coisas porque acho que não há razão para ela ficar zangada e que a outra pessoa pode ter tido as suas razões. Eu não quero que ela fique chateada e tenha um humor estragado. Mas em vez de se acalmar, ela pensa que eu também me oponho a ela e apoio a outra pessoa.

Eu amo-a muito e gosto verdadeiramente dela, é por isso que muitas vezes lhe digo que ela deve parar de se zangar porque isso é uma coisa má e, em troca, ela começa a odiar-me.

Não sei como lhe dizer que quero o que é melhor para ela, que me preocupo com ela e que não quero dizer-lhe nada de mal sempre que ela pensa que o faço.

Desculpe se a pergunta é demasiado geral mas preciso mesmo de ajuda.

Respostas [11]

37
2017-09-29 15:31:54 +0000

Creio que @Cronax está certo. Ela quer sentir-se amada e apoiada.

Algumas pessoas quando estão zangadas simplesmente querem que as ouçamos a desabafar. Outras precisam de mais; a razão pela qual estão zangadas pode ser porque desencadeou nelas algo que lhes dói, e a sua mágoa transformou-se em raiva. Isto é mais difícil de lidar, porque é preciso descobrir a dor subjacente para os apoiar. Outro tipo de pessoa está realmente a perguntar se eles estavam correctos. Isto não é a maioria, portanto dizer a alguém que a sua raiva está errada é uma atitude irreflectida.

Quando as pessoas próximas de si ("você" significa qualquer pessoa em geral) estão zangadas, é desconfortável. Poucas pessoas gostam, por isso muitas querem acabar com isso o mais depressa possível. Por isso, algumas pessoas oferecem ou tentam "resolver" o problema.

...Peço-lhe que se acalme... ficar zangada não resolve nada e ela nem sequer deve pensar nela/ele... Eu tento dizer-lhe que ele ou ela pode estar a fazê-lo por esta ou aquela razão.

...tento resolver o problema, mas como a raiva raramente é simples, isto não funciona.

...eu amo-a muito e gosto genuinamente dela, é por isso que muitas vezes estou sempre a dizer-lhe que ela deve parar de se zangar porque isso é uma coisa má e em troca ela começa a odiar-me.

...imagina este cenário (totalmente fictício): Imagine que a sua namorada sempre foi informada de que estava errada quando era criança. Imagine que, como resultado, quando lhe dizem como adulta que ela está errada, ela volta a ter razão naquele lugar onde não tinha poder para lutar quando lhe disseram que estava errada, sempre errada, para fazer isto, aquilo ou a outra coisa. Não é um lugar bonito para estar, e ela está a reagir emocionalmente, não intelectualmente, ao passo que a estás a tratar assim é uma discussão intelectual. Não é.

Como lidar com a minha namorada quando ela interpreta mal as coisas?

Se queres ficar nesta relação, precisas de fazer algumas coisas.

Primeiro, deixa-a desabafar e ouve. Apoie-a onde puder. Aponte onde ela estava certa, aponte quando a outra pessoa estava errada (não o contrário!) A raiva dela irá dissipar-se muito mais rapidamente se fizer isto. Depois, depois de ela ter estado calma durante (muito) tempo, pergunte-lhe porque é que ela se sentiu tão zangada por causa do x, porque você quer compreendê-la melhor. Você pode ver um padrão que será muito útil.

Segundo, não lhe diga quando ela está zangada que ela está errada. Só não, mesmo que ela esteja.

Terceiro, leia sobre limites, o que eles são, como defini-los, como fazê-los cumprir. Quando duas pessoas se amam, os problemas de uma pessoa são também os problemas da outra, até que ela cruze uma linha em co-dependência. Essa linha é a fronteira entre saudável e pouco saudável.

Um exemplo de uma expectativa pouco saudável é que se deve passar a noite acordada a falar com ela sobre o seu problema. Essa é uma expectativa irrealista e, em última análise, pouco amável.

Estabelecer limites saudáveis é vital para relações saudáveis. Vai sentir-se menos perturbado, é menos provável que ela o inclua na sua raiva.

O que é um exemplo de uma fronteira saudável? Para começar, quando estão ambos num bom lugar, falem sobre isto:

Eu amo-vos, e ouvi-los-ei quando estiverem perturbados. Eu também preciso de dormir para funcionar bem no dia seguinte. A menos que seja uma emergência grave, temos de parar de falar do vosso problema a uma hora razoável, e retomar a conversa no dia seguinte, se necessário. Eu preciso de dormir, e você precisa de me deixar dormir.

Se ela concordar (e deveria), então óptimo. Da próxima vez que ela tentar mantê-la acordada, lembre-a do acordo. Se ela ficar chateada, tu não ficas. Lembra-lhe que a amas e que estavas a falar a sério, precisas de dormir e amanhã vais falar sobre isto. Se ela não a deixar ir, levante-se e durma noutro quarto. Se ela te seguir para esse quarto, sabes que há aqui um problema maior que não podes resolver falando.

Limites saudáveis vão ajudá-la. Compreender de onde vem a raiva dela vai ajudar-vos a ambos. Se você puder apontar de uma forma de apoio porque é que ela pode estar zangada, de uma forma que ela vai hear e sentir-se compreendida, é menos provável que ela fique - e talvez até se torne - zangada. What Are Boundaries Have a conversation to assert your boundaries

37
12
2017-09-29 12:08:42 +0000

Para abordar o seu segundo cenário primeiro, muitas vezes quando alguém se queixa de alguma coisa, só quer que oiça. Isto é especialmente comum nas mulheres que falam com os homens, mas não exclusivamente. Normalmente, neste caso, a outra parte não quer que você faça um juízo ou chegue a uma solução, só quer sentir-se melhor se desabafar e se sentir compreendido. Para evitar este problema no futuro, você pode tentar perguntar algo como "Antes de entrar em detalhes, gostaria que eu apenas ouvisse ou quer que eu o ajude a encontrar uma solução?" mas o ideal é que tenha uma boa conversa sobre isso com a outra pessoa e tente fazer com que ela lhe diga o que espera de si antes de começar a falar.

Quanto ao seu primeiro cenário, a minha interpretação é que talvez precise de aprender a ser mais tacto. A mesma coisa dita de formas diferentes pode ter implicações muito diferentes. Se tivesse dito, por exemplo, "Sabe que mais, estou muito cansado, vamos dormir?" em vez de "Já estamos a falar há algum tempo, podemos ir dormir?" então teria sido muito melhor.

Ser mais tacto é definitivamente uma habilidade que se pode aprender. Mas é preciso prática, de repente não se vai aperfeiçoar de um dia para o outro. Um bom começo seria que, em situações como as que descreves, se tiveres uma má reacção, tentas avaliar o que disseste e reformular a frase, ou seja, depois dizes algo como "Desculpa querida, isto saiu mal. Só queria dizer que, apesar de gostar de falar contigo, gostaria de ir dormir agora, já que estou muito cansada". Com o passar do tempo, deves notar uma melhoria.

12
4
2017-09-29 18:09:25 +0000

Viver esta dinâmica agora mesmo e melhorá-la todos os dias. Assumindo que o seu objectivo é continuar a construir uma relação...

  1. Afirmar a sua experiência subjectiva da situação ("Compreendo que esteja perturbado", "Vejo que não faz sentido para si o x dito y", "provavelmente está frustrado neste momento", etc.), independentemente de fazer sentido ou não para si. Esta é a definição de empatia (compreender o sentimento do outro) em oposição a simpatia (partilhar o sentimento do outro).

  2. Ask o que ela quer. Certifique-se de que é um "como posso ajudar?" vs. "aqui está a forma de o resolver". Por vezes ela pode querer a sua ajuda para mudar a situação e esse seria um momento para aplicar os seus conselhos mais lógicos e descontraídos. Mais frequentemente pode ser que ela queira o reconhecimento de uma luta e queira apenas que você ouça.

  3. **Durante os períodos de não-conflito, crie expectativas claras em que ambos possam chegar a acordo. Por exemplo, quando estão abertos a longas conversas e quando precisam de se concentrar no trabalho, que tópicos são melhor partilhados com as namoradas do que com vocês, pontos de venda para os discursos.

Este vídeo pode ser muito relevante: "Não é sobre a unha"

Também, a sua abordagem racional pode estar a violar a forma como ela interpreta o afecto: https://personalityhacker.com/personality-type-ask-love/

Lembre-se que a maioria das pessoas tem lados racionais e peculiares/irracionais que saem de maneiras diferentes e em circunstâncias diferentes. As relações são ruas de dois sentidos, mas facilita quando um está disposto a dar um passo em direcção ao outro.

4
3
2017-09-29 15:49:33 +0000

Cenário 2: Ela está a ficar zangada com alguém

Tenho de citar tudo:

Eu: Peço-lhe que se acalme e que ficar zangada não resolva nada e que nem sequer pense nela/ele. Ela diz-me porque está a ficar zangada, e quando a ouço geralmente penso de ambas as perspectivas.

Porque está ela a ficar zangada e o que a outra pessoa fez. Eu tento dizer-lhe que ele ou ela pode estar a fazê-lo por esta ou aquela razão.

Como ela reage: Porque não se vai embora. Nunca me pega.

Já que estamos a falar de assuntos subjectivos, ambos têm razão no seu próprio estado de espírito subjectivo (sim, ela também tem razão, insisto), mas como nenhum de vocês está a ouvir o outro, não conseguem chegar a lado nenhum. Como ela está chateada, tem uma desculpa para não ouvir. Está calma, por isso não tem desculpa.

A lógica não funciona com pessoas furiosas. Assim, antes de usar a lógica e falar sobre as coisas, você deve ajudar a acalmar a raiva dela primeiro. Então, leve-a a uma aterragem suave:

Tome o seu lado, peça-lhe para descrever qual foi a ofensa, concorde que foi rude, talvez sugira "quer que eu fale com ele?"... de qualquer maneira, não se torne outro problema para ela. Não questione ainda a sua reacção, como se ela fosse facilmente irritada, susceptível, ou uma rainha do drama. Depois de libertar a sua tensão através de gritos terapêuticos, ela provavelmente vai sentir-se em baixo, por isso aplique alguns elogios, carícias, biscoitos, etc.

O objectivo é fazê-la sentir-se amada e apoiada. Assim que ela arrefecer e perceber que você resistiu à sua tempestade de merda como um patrão, e não a encostou, ela chegará à conclusão de que você gosta mesmo dela...

É muito importante notar que quando lhe dizes, enquanto ela está furiosa, coisas como "vá lá, foi em vão" ou "acalma-te" a mensagem subjacente é que não compreendes porque é que ela está zangada, por isso invalidas os seus sentimentos, soas como se não te importasses, e isso vai deixá-la muito mais furiosa.

Só quero dizer-lhe estas coisas porque penso que não há razão para ela ficar zangada e que a outra pessoa pode ter tido as suas razões.

A crítica construtiva vem depois do abraço, quando ela está pronta para a receber. Não antes.

Em vez de se acalmar ela pensa que eu também me oponho a ela e apoio a outra pessoa.

Bem, sim, do ponto de vista dela está a apoiar a outra pessoa.

Cenário 1: O tempo é cerca das 5 da manhã. Estou com muito sono e ela quer falar e eu continuei a falar. Isto continua até por volta das 6:00 ou algo assim. Perguntei-lhe se podíamos ir dormir, já que já falámos o suficiente e eu estou muito cansado.

Isto é muito provavelmente o resultado de uma série de erros. Primeiro, devia ter terminado a chamada quando queria dormir, provavelmente antes da meia-noite se tiver uma vida.

Neste caso, o meu conselho é o oposto do anterior: seja mais assertivo. Acabou de escrever que lhe pediu autorização para ir dormir. Quando você apagar da sua mente a noção de que você tem a permissão dela para dormir bem e não desperdiçar no dia seguinte sendo um zumbi, as coisas vão ser muito mais fáceis.

3
2
2017-09-29 19:55:34 +0000

Para o segundo cenário, converse com ela onde basicamente discuta como, nesses momentos, não tem a certeza se deve "resolver" o problema ou apenas ter empatia.

Eu faço isto regularmente com a minha mulher. Quero resolver as coisas, como você parece fazer, e nem sempre sou bom a identificar quando ela quer isso versus empatia. Por isso pergunto muitas vezes sem rodeios, "queres empatia ou soluções?" e depois posso reagir em conformidade.

Já falámos sobre isto antecipadamente, por isso ela sabe que o estou a pedir por um bom desejo, por isso recomendo vivamente que fales sobre isso _ antes_ de pedires isso no momento.

Haverá momentos para ambos. Muitas pessoas esquecem-se que o seu outro importante pode, normalmente, trivialmente, dizer-lhes qual é a situação.

2
1
2017-09-29 15:43:30 +0000

Para o cenário 1... este é um problema de tacto. Como disseste que parecia "tudo bem, tudo bem, já falámos" como se estivesses a fazer-lhe um favor ao falar com ela. Em vez disso, apenas realça que estás cansado. Quando estiveres cansado, vai para a próxima boa conversa segue, sorri e diz: "Ei, estou cansado". Vamos lá a bater o feno"

Para o cenário 2... será que a ajuda a desabafar? Eu tenho algumas pessoas com temperamento quente na minha vida, e lido com isso assim: "A quem o dizes." Ou seja, deixa a tua respiração quente ventilar. Experimenta. Ela parece sentir-se melhor depois? Depois da sua exposição, fale de um novo assunto. Se ela quer um conselho real, vai pedi-lo.

Para o cenário 3 (ou seja, amanhã)... diz-lhe que a amas e que ela deve saber que, por vezes, o que dizes vai soar mal. Façam um pacto para que ambos assumam sempre que o outro está a agir de boa fé.

1
1
2017-09-29 15:08:29 +0000

O pior das pessoas é que VOCÊ não pode mudá-las. Só se pode mudar a forma como VOCÊ se comporta. Como Cronax respondeu, você deve tentar encontrar maneiras de dizer as coisas de uma maneira mais aceitável (seja o que for para ela).

Outra coisa é um pouco de neurologia. Quando você aponta algum erro em outro comportamento ("você ficou com raiva"), você está de fato, na perspectiva deles, atacando a outra pessoa ( um pequeno vídeo https://www.youtube.com/watch?v=Q8NydsXl32s ). Muitas pessoas estão conscientes de que cometeram um erro, mas admitir isso dói. Literalmente. O cérebro percebe isto de forma semelhante ao trauma físico. Assim, uma solução melhor seria propor um comportamento diferente DO PONTO AQUELE e voltar ao incidente com melhor humor.

(Principalmente para a segunda situação: "Isso é terrível/(alguma palavra horripilante)! o que vai fazer agora?" - o foco foi deslocado e a raiva não recebe tanta atenção. Ela também consegue manter a cara e não é contradita. É provável que ela até tente ser construtiva.)

É uma situação complicada ( estou principalmente no lugar dela :D ) e sei quanto me custa não explodir quando estou agitado e depois de ser corrigido. Portanto, boa sorte e tenha muita paciência.

1
1
2017-09-29 16:03:04 +0000

Embora se possa preparar para agir de certa forma quando o referido problema ocorre, para soluções de longo prazo, seria necessário trabalhar as questões offline (ou seja, quando as coisas parecem fine).

Antes de chegar às formas de lidar com a situação, gostaria de salientar as características mais comuns das questões numa relação. E isto é: **

Soluções passivas (quando o problema já começou):

  • Tente não perder a calma.
  • Não caia na armadilha de começar um jogo de culpas nesta altura.
  • Se a conversa é sobre outra pessoa, então, antes de lhe dizer que assumiu a motivação por detrás das acções dos outros, diga-lhes o que ou que parte da sua acção estava certa (isto mostra que está disposto a apoiá-los). Aguarde um pouco antes de expressar a sua opinião sobre os outros ou sobre a(s) sua(s) própria(s) acção(ões) que considere controversa(s).
  • Além disso, uma vez terminado o seu discurso, considere fazer uma pergunta em aberto, como por exemplo: "Posso dizer-lhe o que penso que possa estar a acontecer aqui?" para saber se eles querem ou não ouvir a sua avaliação. A menos que a situação esteja absolutamente fora de controlo e não tenham outra opção senão intervir, muitas vezes, eles provavelmente só querem ser ouvidos sem que lhes seja oferecido um grande número de conselhos ou de conhecimentos. Deixe-os lidar com isso, eles também são adultos. Desde que a situação externa não afecte directamente a relação, e eles não tenham pedido ajuda, não faz mal deixá-los lidar com isso sozinhos e pedir apenas de vez em quando: "Está tudo bem com 《that problem》?".

Active solutions (when the things seem fine):

  • Diga educadamente ao seu parceiro que tinha algo na sua mente que o estava a incomodar e que queria falar com ele. Isto possivelmente faria com que eles lhe fizessem uma pergunta sobre o que era (se eles estivessem no estado de espírito certo para o ouvir), em vez de você caminhar até eles e começar um monólogo do nada.

  • Talvez começar por:

  • Ouça-os pacientemente.

  • Mais uma vez, considere fazer uma pergunta aberta:

  • Se o tom da conversa permanecer bom durante todo este tempo, poderá eventualmente dizer-lhes como se sentiu por ter sido mal interpretado.

  • Finalmente, procure sugestões para tentar melhorar o diálogo em situações delicadas e, através de uma pergunta aberta novamente, ofereça também algumas das suas próprias sugestões. Agradeça-lhes por o compreenderem (ou por tentarem fazê-lo) e peça-lhes desculpa por qualquer das suas palavras ou acções que (in)os perturbem (in)advertidamente.


Palavras finais: Uma relação é não uma rua de sentido único. Quanto mais duas pessoas tentam compreender como o seu companheiro se comporta numa determinada situação e porquê, mais pacífico é lidar, contornar e ultrapassar as questões. Nem todas as tentativas têm garantia de sucesso, nem a resolução dos problemas é um exercício único. Se, no fim de contas, a relação é a sua prioridade, ambos os parceiros têm de estar dispostos a desenvolver esforços contínuos para se tentarem compreender melhor um ao outro e trabalhar para a melhoria da parceria.

1
1
2017-09-29 13:30:56 +0000

Eu amo-a muito e gosto verdadeiramente dela, é por isso que muitas vezes lhe digo que ela deve parar de se zangar porque isso é uma coisa má e em troca ela começa a odiar-me.

Desde que escreveu isto, para responder à sua pergunta Como lidar com a minha namorada quando ela interpreta mal as coisas? a verdadeira resposta é que você não pode. Tomou a decisão de se comprometer com uma pessoa que difere na forma como ela lida com as coisas em relação a si. Você não parece perder energia em situações como ela, mas como este é um padrão consistente com ela, esta é uma parte de quem ela é. Pode trabalhar na forma como comunica com ela e testar formas de a levar a ter empatia consigo ("sabe como se sente quando as pessoas falam consigo, mas tem muito sono..."), mas pelos pormenores da sua pergunta, ela parece muito egocêntrica.

Sugiro vivamente que trabalhe em testar a comunicação com ela sem esperar que ela mude. A menos que a tenha descrito mal, ela não parece muito reflexiva.

Para outras pessoas que lêem a pergunta para uma resposta e que podem ainda não estar comprometidas, pergunte-se aqui sobre o comportamento do seu gf/bf: quer estar com alguém que desperdiça muita energia e tempo com este tipo de situações? Nunca mais recupera o seu tempo... nunca._ Pergunte a um doente com cancro de quantas queixas ele se lembra? Aposto que a resposta deles é 0.

Vale a pena perder horas da sua vida, que resultam num retorno de 0%? Se eu não estivesse comprometido ou apaixonado, eu diria - "Este é um padrão que eu notei com você. Eu não sou assim e não quero estar com alguém que pensa que o desabafo durante horas é produtivo. A vida tem mais para oferecer". Sim, isso seria um ultimato, mas a vida é demasiado curta para se desabafar durante horas de cada vez.

1
0
2017-09-29 16:13:12 +0000

Não pense demais nisso. Se ela é como descreve, desperdiçando a sua vida a fazer birras, creio que tem duas opções:

  1. Faça-a empenhar-se na terapia de gestão da raiva e trabalhar activamente para melhorar. Estabeleça objectivos claros aqui.
  2. Deixe-a e encontre alguém com quem você seja naturalmente mais compatível.

Como alguém que está muito feliz no casamento agora, depois de várias relações que não resultaram, eu percebi duas coisas muito importantes:

  1. Não se pode mudar as pessoas! Elas podem mudar, mas precisam de ser motivadas para mudar a si próprias.
  2. Você merece estar numa relação onde se possa sentir como você mesmo. Natural e calmo. Não se contente com nada menos!
0
-1
2017-09-29 13:59:20 +0000

Ela parece ser muito impaciente, imatura e mimada. A comunicação é sempre a melhor forma de resolver os problemas. Pode chamá-la para um diálogo honesto sobre esta situação, pode dar todos estes exemplos que deu e dizer-lhe que quer que a comunicação entre si seja honesta e clara.

Se ela se zangar e não quiser ouvi-lo de forma alguma, este é um grande alerta vermelho. Uma pessoa com quem não se pode falar, com quem se pode argumentar, não é uma boa pessoa para construir uma relação. Continuar numa relação dessas só causará sofrimento e tristeza.

Se for esse o caso, o melhor seria acabar com a relação. Radicalmente assim. Se não for, então, através de uma comunicação sincera e boa vontade de ambos, deverá ser capaz de melhorar a qualidade da sua relação.

-1